Image default
Artigos Tecnologia Uncategorized

Low-code e no-code: como automatizar os processos sem contratar um programador

Uma plataforma low-code ou no-code é uma forma eficaz de automatizar os processos de negócio. Essas tecnologias dão mais autonomia à empresa para criar aplicações sem a necessidade de terem altas competências técnicas.

A necessidade da transformação digital nunca ficou tão evidente para as empresas como atualmente. Para conter a propagação da COVID-19, o isolamento social tornou-se uma regra e o teletrabalho passou a ser uma realidade para grande parte das empresas portuguesas.

Esta nova realidade apanhou muitas organizações desprevenidas, especialmente aquelas que ainda não otimizaram os seus processos através de soluções de TI. Assim, entre os desafios a serem enfrentados estão os dados estritamente físicos ou restritos a sistemas sem acesso remoto, bem como a falta de integração de sistemas. A boa notícia é que há solução para isso através do modelo no-code ou low-code.

Saiba como funcionam estes tipos de plataformas e veja como ultrapassar problemas básicos através destas tecnologias e acelerar a transformação digital na sua empresa.

Desenvolva soluções práticas sem perceber de códigos

Numa plataforma no-code, como o próprio nome sugere, é possível criar diferentes aplicações sem o uso de códigos de programação. As soluções são visuais e bem simplificadas, na maioria das vezes ao estilo “arrastar e soltar”. Também, comummente há assistência aos desenvolvedores durante o processo de criação.

As plataformas sem código são construídas com tudo – ou pelo menos tudo aquilo que o criador da plataforma acredita – que o utilizador precisa para criar uma aplicação. As soluções no-code assemelham-se àquelas ferramentas para a criação de blogs ou com as plataformas para a criação de design de site para e-commerce. Nesse sentido, são soluções que já possuem templates prontos e podem ser utilizados para criar uma página na web em minutos, por exemplo.

O facto de não necessitar de codificação permite que uma empresa automatize os seus processos de negócio, crie as suas aplicações e faça a gestão das suas atividades sem ter propriamente um programador na equipa. Em resumo, qualquer profissional com o mínimo conhecimento informático está apto para a utilização de uma plataforma no-code.

Para além disso, uma plataforma no-code facilita a criação de soluções para necessidades específicas. Portanto, não se trata de uma plataforma geral, mas de um modelo de desenvolvimento pensado sob medida para a realidade de cada empresa.

Entre os benefícios de uma plataforma no-code estão:

  •         Facilidade para inovar;
  •         Autonomia;
  •         Redução de custos;
  •         Aumento da produtividade;
  •         Agilidade no desenvolvimento de soluções;
  •         Customização dos serviços;
  •         Soluções à medida.

As facilidades são tantas que estudos apontam para uma forte tendência de utilização deste tipo de tecnologia da informação pelas empresas portuguesas, com um grande avanço até 2021. Só para exemplificar, a pesquisa Futurscape Portuguese ICT Top 10 Predictions indica que em três anos pelo menos 25% das aplicações desenvolvidas não serão criadas por programadores.

Soluções mais completas e com menos código

As plataformas de low-code tornaram-se uma tendência no desenvolvimento de aplicações dentro das empresas. Isso porque tal como o nome indica, a plataforma low-code possui baixa programação. Nela, os desenvolvedores não codificam uma aplicação linha por linha, o que garante mais agilidade no processo.

Ao contrário do no-code, o sistema low-code exige uma capacidade técnica mais apurada. Por isso, esta tecnologia tem sido utilizada por empresas que pretendem aumentar a capacidade de trabalho dos seus profissionais de TI através do fornecimento de uma plataforma que os permite criar soluções com mais rapidez e eficiência.

Em vez de escrever milhares de linhas de código, numa plataforma low-code o utilizador consegue criar aplicações completas com interfaces, integrações, dados e lógica modernos, de maneira rápida e visual, além de permitir que eles codifiquem manualmente, sempre que necessário. Portanto, trata-se de uma ferramenta facilitadora do processo de desenvolvimento de softwares.

O sistema low-code tem sido muito utilizado para desenvolver aplicações de gestão para atender a problemas específicos de áreas distintas. Sendo assim, é ideal para a criação e gestão de softwares mais sofisticados, que executam processos importantes para os negócios.

No-code x low-code

Tanto as plataformas no-code quanto as low-code possibilitam o desenvolvimento mais rápido e fácil de novos sistemas e aplicações. Porém, existem algumas diferenças subtis e cruciais para o bom aproveitamento das tecnologias.

Pode-se dizer que o modelo no-code potencializou as possibilidades oferecidas pelas plataformas low-code. Afinal, neste último tipo de plataforma ainda há a existência de um pouco de código. No entanto, as duas tecnologias são eficientes e acabam por se mais indicadas para diferentes situações.

O modelo low-code possibilita que sejam criadas outras aplicações com uma programação básica e de maneira mais rápida. Por outro lado, uma plataforma no-code permite que um profissional que não conhece programação desenvolva um produto de acordo com as necessidades específicas da empresa.

Portanto, de um modo geral, a diferença é que a plataforma low-code simplifica o processo ao diminuir a necessidade de códigos no desenvolvimento de alguma aplicação, e a no-code oferece um template intuitivo para a criação, com funções personalizadas para cada necessidade.

Low-code

  1. ​Utilizado para aplicações complexas;
  2. ​​Aplicações com um ciclo de vida superior a 5 anos e menos atualizações;
  3. ​​Permite um maior controlo de desenvolvimento.

​​​​No-code

  1. ​​Utilizado para aplicações de report e análise de dados;
  2. ​Aplicações com atualizações e mudanças de utilização frequentes;
  3. ​​Aplicações Mobile Responsive.

Se gostou deste post e quer saber mais sobre tecnologias para os negócios, acompanhe as nossas atualizações sobre tecnologia aqui no site.

Related posts

Melhore a presença online com estas 6 ferramentas de SEO

admin

Conheça a nova tecnologia da Google que veio para substituir o SMS

admin

L’Oréal aposta na sua primeira linha de maquilhagem virtual

admin

Deixe um comentário