Image default
Artigos Mercado Tendências

5 tendências do e-commerce após a Covid-19

O ano já está a acabar e o distanciamento social continua a ser uma das medidas mais eficazes contra a disseminação do coronavírus. Enquanto para alguns setores isso significa uma desgaste económico, no e-commerce a época é de crescimento.

Isso mesmo, as limitações sociais impostas pela pandemia da Covid-19 não significam o fim do comércio. Pelo contrário, o atual contexto está a potencializar setores como o do e-commerce.

A pandemia acabou por acelerar algo que era inevitável: o crescimento acelerado do comércio eletrónico. Com isso, as previsões de que as lojas físicas estariam também ou apenas no digital devem se concretizar muito antes do esperado.

Mas, será que este quadro de crescimento se manterá numa realidade pós-pandemia? Como será o comportamento dos consumidores depois que a vida voltar ao que chamamos de normal?

Veja neste artigo cinco alternativas do que pode ser tendência no e-commerce numa realidade após Covid-19.

1# Interação virtual

A tecnologia é uma forte aliada do comércio eletrónico. Por isso, investir em recursos que facilitem o acesso do cliente ao seu produto é essencial.

É neste contexto que entra a realidade virtual. Esta tecnologia tem sido utilizada cada vez mais por lojas físicas e agora está a mostrar-se uma ferramenta importante para as lojas digitais.

Através de mecanismos da realidade virtual, os comércios eletrónicos podem fornecer experiências interativas aos seus clientes. A tecnologia permite que a compra no website se torne mais “palpável”, por assim dizer.

Por exemplo, no caso de um e-commerce de vestuário, é possível que os consumidores vejam como ficariam numa roupa antes de comprá-la. Assim, não haveria a necessidade de experimentá-la fisicamente. Isso é possível através de um ambiente 3D simulado.

Grandes marcas como a Nike e eBay já utilizam este recurso há algum tempo e a tendência é cada vez mais lojas passem a aproveitar esta vantagem também.

2# Métodos de pagamento diversificados

Oferecer aos clientes diferentes formas de pagamento está a se tornar uma característica fundamental no e-commerce. Cada vez mais é necessário incorporar nos negócios métodos diversificados de pagamento, tal como PayPal, Apple Pay e até mesmo as conhecidas criptomoedas.

Esta tendência é uma forma de agilizar o processo de compra, pois acaba por reduzir a necessidade de informações para a conclusão dos pagamentos. Assim, o tempo despendido pelo consumidor no website acaba por se menor, proporcionando uma melhor experiência de compra.

3# Voice Commerce

Os assistentes virtuais chegaram para ficar. Essas tecnologias já são parte da realidade de muitas casas e a tendência é de crescimento, apontam estudos.

Com isso, as tecnologias como Google Assistant ou Alexa estão a se tornar aliados na hora de fazer compras. Desta forma, trabalhar com esses assistentes começou a ser uma grande oportunidade para os e-commerces.

Trata-se do conhecido Voice Commerce. Por exemplo, o consumidor pode pedir uma refeição por voz. Na sequência, o assistente faz o pedido diretamente no restaurante que está melhor posicionado na sua categoria.

Assim, é importante que as empresas invistam nessas tecnologias para estarem entre os resultados das pesquisas por voz, feitas com a ajuda dos assistentes.

4# Sustentabilidade

Ter um negócio mais sustentável e consciente é uma tendência mundial. No setor do e-commerce não é diferente. Afinal, a preocupação com o meio ambiente na hora da compra é uma realidade do consumidor moderno.

Por isso, muitas empresas estão a adaptar os seus negócios e a desenvolver estratégias para se tornarem mais sustentáveis. Essas estratégias vão desde a mudança na forma da produção até a escolha do método de trabalho.

A depender de cada e-commerce, as mudanças podem aparecer na escolha de embalagens mais ecológicas, matérias-primas mais sustentáveis, redução do uso de papel, preferência ao home office, uso responsável de energia, entre outras.

5# Otimização nas pesquisas

O marketing digital segue a ser uma forte tendência para as lojas virtuais. Afinal, é preciso ter um plano estratégico para que os produtos ou serviços sejam encontrados no vasto mundo da internet.

Com isso, o SEO continuará a ser uma mais-valia para qualquer e-commerce, uma vez que a otimização para mecanismos de busca é fundamental para que as pessoas encontrem uma empresa.

Dentre as diversas boas práticas que incluem as estratégias de SEO, o desempenho técnico do site tem sido um foco de investimento. Isso porque ele é fundamental para a geração de negócios, pois influencia directamente na experiência de compra dos consumidores.

Assim, é preciso estar atento ao tempo de carregamento da página, funcionamento dos botões, à atractividade do design, entre outros aspetos.

Essa e as outras tendências são estratégias que estão a orientar o comércio eletrónico desde já e devem manter-se numa realidade pós-pandemia. Mantenha-se sempre informado sobre as novidades do mercado aqui no site EcomNow.

Related posts

E-commerce: entenda agora quais são os diferentes tipos e modelos

admin

ViniPortugal promove venda online de vinhos

admin

Empresas recebem apoio da Dott e Primavera na adesão ao e-commerce

admin

Deixe um comentário